O poder, o monopólio e a produção exponencial de informação

Marcel José Cheida

Resumo


O artigo compreende uma reflexão sobre os rumos da sociedade da informação, cujas estruturas são recondicionadas e remodeladas pelas tecnologias digitais combinadas com os desafiadores avanços dos processos de exploração dos bens do planeta. Desde a invenção da tipografia impressa, os sistemas e processos de comunicação sofreram profundas mudanças, as quais culminam com a internet. O telégrafo elétrico é o dispositivo que vai radicalizar a velocidade da emissão e recepção de mensagens, além de ser instalado como rede de comunicação, antevendo a Internet. A partir dele, a velocidade se torna o elemento crucial tanto para sustentar o capitalismo como modelo econômico de produção e consumo, como para acelerar profundamente as mudanças tecnológicas e comportamentais de meados do século XX até hoje. Assim, a reflexão apresentada propõe um problema que desafia a capacidade da humanidade e do planeta em conviver com processos acelerados, motivado pelas pressões e demandas de consumo as quais alimentam os monopólios que buscam incessantemente controlar a produção e a disseminação de conteúdos na sociedade consumista. O preço é a degradação das fontes dos recursos ambientais.

Palavras-chave: Ética. Informação. Mídia.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24220/cfc.v2i1.3941

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos de Fé e Cultura

ISSNe 2525-9180 (eletrônico)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.