Seleção e uso do hábitat pelo boto-cinza, Sotalia guianensis (Van Bénéden, 1864) (Cetacea, Delphinidae), na baía de Paraty, estado do Rio de Janeiro

Liliane Lodi

Resumo


São examinadas as determinantes ambientais e comportamentais da seleção e uso do hábitat do boto-cinza (Sotalia guianensis) na Baía de Paraty, entre outubro de 2000 e setembro de 2001, totalizando 36 cruzeiros e 155:25h de amostragem efetiva. O Padrão de Uso de Área (UA) indicou que os setores 3 e 4 foram considerados de uso intenso, o 5 de uso médio, enquanto os setores 1 e 2 tiveram uso ocasional. O UA foi significativamente correlacionado aos substratos lodosos e rochosos e as marés enchente, vazante e baixa. As atividades observadas incluíram: forrageamento/alimentação (61,6%, n = 85), deslocamento (35,5%, n = 49) e socialização/brincadeiras (2,9%, n = 04). Os valores do Índice de Atividade (IA) mostraram que os setores 1 e 5 foram usados para o deslocamento enquanto os setores 3 e 4 durante o forrageamento/alimentação. A presença dos botos-cinza ao longo do ano na baía deve-se à variedade de microhábitats, biodiversidade de presas, ausência de predadores e às águas rasas, protegidas e mornas. Os setores 3 e 4 são importantes no uso e na alimentação de S. guianensis, o que permite sugerir que às características físicas (estuários, manguezais, canais, ilhas, lajes, baixios de lama costeiros e substratos lodosos) e oceanográfica (áreas com maior circulação de água) desses setores determinam a disponibilidade dos recursos, maximizando para os botos-cinza a utilização desse ambiente.

Palavras-chave: Seleção, utilização, hábitat, boto-cinza, Baía de Paraty.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Bioikos

ISSNe 2318-0900 (eletrônico)
ISSN 0102-9568 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.