Composição, distribuição espacial e abundância relativa dos peixes nas regiões marginais da Ilha da Madeira, Coroa Grande e Itacuruçá – Baía de Sepetiba, Rio de Janeiro, Brasil

José Vanderli Andreata, Jorge Aantoni Xavier Pinet, Alex G. Marca, Luiz Otavio Varela de Oliveira

Resumo


O trabalho objetiva verificar a composição, distribuição mensal e espacial, abundância relativa dos peixes e as relações com os valores da salinidade e temperatura, durante o período de abril de 1995 a março de 1996, em três áreas marginais da Baía de Sepetiba. A salinidade e a temperatura variaram de 0S a 25S e 18ºC a 26ºC respectivamente. Foram coletados 9.818 espécimes compreendendo 33 famílias, 56 gêneros e 81 espécies, sendo 26,78 % na área 1, 49,46% na área 2 e 23,75% na área 3. As maiores capturas ocorreram nos meses de abril, agosto e setembro de 1995 com 13,5%, 15,1% e 30,4% respectivamente. As seis espécies mais representativas foram: Anchoa januaria com dominância de 61,85%, Gerres aprion com 12,04%, Anchoa sp. com 6,29%, Xenomelaniris brasiliensis com 5%, Diapterus rhombeus com 3,51% e Mugil sp. com 3,21%. A riqueza específica foi de 15,205 na área 1, 10,851 na área 2 e 12,768 na área 3. A maior correlação para o Coeficiente de Pearson, ocorreu na área 2 com 0,503 para a salinidade e 0,285 para a temperatura.

Palavras-chave: Baía de Sepetiba, peixes, composição-distribuição, abundância relativa.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Bioikos

ISSNe 2318-0900 (eletrônico)
ISSN 0102-9568 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.