Prioridades espaciais para a conservação de mamíferos ameaçados de extinção na região Neotropical

Fabiana Madeira Assunção Cunha, Rafael Dias Loyola

Resumo


Cerca de um quarto das espécies de mamíferos estão atualmente ameaçadas de extinção, e o constante aumento nessas taxas tem demandado a elaboração de estratégias eficientes, que direcionem esforços para áreas com alto valor de conservação. Mamíferos são extremamente importantes, por desempenharem inúmeros papéis ecológicos cruciais na manutenção dos ecossistemas, de modo que a elaboração de estratégias de conservação para esse grupo é fundamental. Nesse sentido, o presente estudo visou identificar áreas-chave para a conservação de mamíferos ameaçados de extinção na região neotropical, utilizando ecorregiões como unidades geográficas básicas. Ecorregiões neotropicais servem de refúgio para uma grande diversidade de vertebrados, além de abrigar, hoje em dia, inúmeras espécies em extinção. Essas áreas foram selecionadas com base (1) em variáveis ecológicas, evolutivas e outras relacionadas à história de vida de cada uma das 207 espécies de mamíferos neotropicais ameaçados, e (2) também com base no status de conservação, área total e proporção de área protegida e disponível para conservação das 166 ecorregiões neotropicais nas quais tais espécies ocorrem. Foi usado um procedimento de otimização para selecionar o número mínimo de ecorregiões necessárias para representar todas as espécies ao menos uma vez, com base no conceito de complementaridade. As soluções que satisfizeram essa meta de representação foram combinadas em diferentes mapas, nos quais a importância relativa de cada ecorregião foi indicada pela frequência com que ela foi incluída nos conjuntos ótimos. Foi ainda verificado onde é necessário criar reservas que complementem a rede atualmente estabelecida na região neotropical.

Palavras-chave: Análise de lacunas. Ecorregiões. Extinção. Planejamento sistemático para a conservação. Vertebrados.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Bioikos

ISSNe 2318-0900 (eletrônico)
ISSN 0102-9568 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.