Estoque de carbono em um fragmento de floresta estacional semidecídua no município de Ribeirão Grande, São Paulo

Lindomar dos Santos Carvalho, Roberta Macedo Cerqueira, Glauce Vitor da Silva, Elis Ribeiro Magno Silva

Resumo


As florestas são consideradas grandes reservatórios de carbono, tendo em vista sua capacidade para remover o CO2 da atmosfera. O presente trabalho tem como objetivo apresentar a biomassa e o estoque de carbono da cobertura vegetal de uma área de 0,7 hectares no município de Ribeirão Grande, São Paulo. Foram utilizados os dados de um levantamento florístico e fitossociológico realizado em 70 parcelas com dimensões 10 m x 10 m, onde foram amostrados 1.653 indivíduos arbóreos, pertencentes a 175 espécies e 50 famílias. Através da aplicação de equações alométricas, o presente estudo estimou que o carbono total na área de estudo corresponde a 96,74 t C ha-1. Conclui-se que tal estoque de carbono é compatível com o encontrado em outras áreas, independentemente da localização e outros fatores, servindo de referência para futuros levantamentos. O estudo pode ser utilizado como um instrumento para a tomada de medidas preservacionistas que garantam a integridade da floresta e sua biodiversidade.

Palavras-chave: Aquecimento global. Equações alométricas. Sumidouro de carbono.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Bioikos

ISSNe 2318-0900 (eletrônico)
ISSN 0102-9568 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.