Índices bióticos mono e multimétricos de avaliação da qualidade

Claudia Eiko Yoshida, Virgínia Sanches Uieda

Resumo


Os protocolos de avaliação de hábitats e os índices bióticos utilizados no biomonitoramento de rios no Brasil fornecem boas informações sobre a qualidade da água e indicações sobre as modificações do ecossistema aquático. No entanto, a interpretação de seus resultados têm limitações. Estudos anteriores apontaram limitações destes índices para aferir a qualidade de riachos de baixa ordem, já que os índices medem somente impactos orgânicos. A degradação ambiental desses riachos está relacionada principalmente a impactos causados pela alteração da paisagem, tais como erosão, assoreamento, retificação do canal, perda de mata ciliar, e redução do fluxo da água. Os riachos da Serra do Japi estão sujeitos a alguns desses impactos provocados por atividades rurais. Portanto, neste estudo foi avaliado se a redução das características naturais de alguns desses ambientes diminuiria a qualidade da água. A pontuação obtida pela aplicação do Protocolo de Diversidade de Hábitat salientou a ação de impactos difusos da atividade agrorrural sobre a qualidade do hábitat. Porém, os índices bióticos aplicados Biological Monitoring Working Party Score System, Average Score Per Taxon e Índice da Comunidade Bentônica para Rios -, não foram afetados pelos usos do entorno dos riachos, já que apontaram alta qualidade da água de todos os ambientes analisados. Uma adequação dos atributos e da classificação a partir das pontuações é sugerida para uma melhor definição de políticas de conservação da área.

Palavras-chave: Cabreúva. Diversidade de hábitat. Jundiaí. Macroinvertebrados. Nascentes.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Bioikos

ISSNe 2318-0900 (eletrônico)
ISSN 0102-9568 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.