Intensidade de ataque a lagartas artificiais em diferentes formações vegetais do Cerrado

Carolina Moreno, Viviane Gianluppi Ferro

Resumo


A complexidade estrutural do hábitat influencia os padrões de diversidade das espécies e também as interações ecológicas, como a predação. O objetivo deste trabalho foi avaliar a intensidade de ataque de um modelo de inseto herbívoro (lagartas artificiais) em formações vegetais de Cerrado com diferentes níveis de complexidade estrutural (campo sujo, campo cerrado, cerrado sensu stricto e mata estacional semidecídua). As unidades amostrais consistiram de 40 parcelas de 10 x 10m distribuídas entre as quatro formações vegetais citadas acima. Em cada parcela, foram fixadas sobre a vegetação, a cerca de 1m de altura, 30 lagartas artificiais feitas de massa de modelar não tóxica com tamanho, forma e coloração semelhantes. O número de lagartas com marcas de ataque foi mensurado após quatro dias de exposição. A diferença da intensidade de ataque entre as formações vegetais foi analisada através de uma Anova seguida do teste a posteriori de Tukey. A intensidade de ataque média foi significativamente maior no campo sujo (formação vegetal estruturalmente mais simples do estudo) do que nas demais formações vegetais (F3,36=7,85, p=0,0003). Em virtude de ficarem mais expostas tanto visual quanto quimicamente em ambientes estruturalmente mais simples (com menor riqueza e densidade de plantas lenhosas), as lagartas artificiais podem ser mais facilmente localizadas e atacadas por predadores e parasitoides.

Palavras-chave: Cerrado. Complexidade de hábitat. Lagartas artificiais. Predação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Bioikos

ISSNe 2318-0900 (eletrônico)
ISSN 0102-9568 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.